Mitos e verdades sobre a saúde do homem

Mitos e verdades sobre a saúde do homem

Publicado em 17 de julho de 2017

Em 15 de julho é comemorado, no Brasil, o Dia do Homem. O objetivo desta data é conscientizar o público masculino sobre os cuidados que devem ter com sua saúde, pois segundo o Centro de Referência da Saúde do Homem de São Paulo, 60% dos homens que vão à uma consulta médica já estão com alguma doença em estágio avançado e 70% deles tiveram influência de mulheres ou filhos.

Para desmitificar e esclarecer algumas dúvidas acerca da saúde do homem, Fernando Leão, urologista especialista em cirurgia robótica para tratamento de câncer de próstata, comenta 10 mitos ou verdades sobre o tema:

  1. Todo paciente diagnosticado com câncer de próstata apresentou sintomas anteriormente.

Mito. Alguns pacientes são diagnosticados com câncer de próstata e são totalmente assintomáticos. Além disso, na maioria dos casos, o tumor cresce lentamente. São raros os casos em que o tumor cresce de maneira acelerada, mas é preciso ficar atento, pois ele pode se estender para outros órgãos.

  1.         Homens que já têm casos de câncer de próstata na família devem começar a fazer exames aos 40 anos de idade.

Verdade. Homens com histórico de câncer na família têm de duas a três vezes mais chance de terem a doença. O câncer de próstata é considerado hereditário quando dois parentes de primeiro grau forem diagnosticados antes dos 55 anos de idade e quando ocorre em três gerações consecutivas (avô, pai e filho).

  1.         O câncer de próstata é considerado um câncer de terceira idade.

Verdade. O câncer de próstata é o segundo tipo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma e atinge, na maioria dos casos, homens de terceira idade. Entretanto, o número de pacientes diagnosticados entre 45 e 50 anos é cada vez maior.

  1.         Não existe relação entre estilo de vida saudável e saúde urológica do homem.

Mito.  O estilo de vida saudável está diretamente relacionado à diminuição do risco de desenvolvimento de doenças urológicas masculinas, como disfunção erétil, ejaculação precoce e câncer de próstata. Atividades físicas, por exemplo, promovem controle do peso corpóreo, desestimulam vícios como tabagismo e etilismo, diminuem processos de inflamação celular e estimulam os processos de reparação celular.

  1.         O câncer de próstata causa impotência.

Mito. O câncer de próstata não tem relação com a impotência sexual. Porém, dependendo do tratamento para a doença, como cirurgia, radioterapia ou hormonioterapia, pode existir um risco potencial de disfunção erétil. Um dos tratamentos mais indicados para evitar esse risco é a cirurgia robótica.

  1.         A vasectomia pode causar impotência.

Mito. A vasectomia não tem esse tipo de efeito colateral pois os nervos e vasos sanguíneos responsáveis pela ereção do pênis não estão envolvidos e nem são afetados durante a cirurgia.

  1.         O aumento da próstata nem sempre é sinal de câncer.

Correto.  O câncer é uma alteração na qualidade das células prostáticas e o aumento da próstata (HPB) é uma alteração na quantidade das células prostáticas. A HPB não tem relação com o câncer e para a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), 90% dos homens entre 81 e 90 anos registram esse aumento.

  1.         A Hiperplasia Prostática Benigna (HPB) e aumento da próstata não estão relacionados.

Mito. A HPB significa o aumento da próstata, que por causa de um tumor benigno. A única consequência negativa deste aumento é que atinge o funcionamento da uretra, entretanto, já existe tratamento para a HPB.

  1.         Jato urinário fraco, sensação de esvaziamento incompleto da bexiga, ardência ao urinar e incontinência urinária são alguns dos sintomas da HPB.

Verdade. O aumento da quantidade de vezes em que o homem urina à noite e desconforto na bexiga com a sensação de “peso” também completam esse conjunto de sintomas. Quando presentes, um médico urologista deve ser procurado para uma avaliação específica e esse paciente deverá ser tratado conforme a gravidade da doença.

  1.      Na maioria dos casos, a HPB é uma doença que atinge os jovens.

Mito.  Assim como o câncer de próstata, a hiperplasia prostática benigna é considerada uma doença da terceira idade. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a HPB acomete cerca de 80% dos homens acima dos 50 anos e a Sociedade Brasileira de Urologia aponta que já existem 14 milhões de brasileiros convivendo com a doença.

 

Fernando Franco Leão, urologista – É especialista em cirurgia robótica para tratamento do câncer de próstata. Além do Hospital Brasília, na capital federal, o especialista também opera nos hospitais 9 de Julho, Sírio-Libanês e Albert Einstein, em São Paulo. Leão é membro da Society of Robotic Surgery (SRS) e da American Urological Association (AUA), nos Estados Unidos, e também da Société Internationale D’Urologie (SIU), no Canadá.

 

Assessoria de Imprensa

Larissa Sampaio
(61) 9 8181.9102
larissa@coletivoconversa.com.br

Kadydja Albuquerque
(61) 9 8277.8382
kadydja@coletivoconversa.com.br

Relacionadas