Formação de líquido nos olhos pode provocar descolamento de retina

Formação de líquido nos olhos pode provocar descolamento de retina

Publicado em 21 de setembro de 2017

O acúmulo de líquidos produzidos pelo próprio olho pode causar o descolamento da retina quando o paciente é afetado pela coriorretinopatia serosa central. Conhecida apenas como serosa central, a doença está relacionada a alterações na função reguladora de duas camadas do globo ocular: o epitélio pigmentar da retina e a coroide, responsáveis respectivamente pela percepção das cores e a nutrição dos tecidos oculares.

Quando essas camadas estão mais permeáveis, é possível que o líquido oriundo da coroide passar para a retina e provoque o seu descolamento. “Os sintomas podem ser percebidos pelos pacientes assim que esse descolamento ocorre, caso ele seja na zona central do olho. Se o vazamento for na zona periférica, pode demorar mais para que sejam sentidos”, explica Sebastião José Ferreira Neto, médico oftalmologista da Oftalmed.

A serosa central atinge, na maioria dos casos, jovens de 20 a 40 anos e pode estar ligada diretamente ao estresse. “A doença está relacionada a alterações hormonais, mas também pode ter influência de tendências genéticas e pode ser agravada em pacientes que estejam fazendo tratamentos a base de corticoide”, afirma o especialista.

A retina é uma membrana resistente, e por isso, são poucos os casos de perda definitiva da visão. Entretanto, ao descolar-se do olho, ela para de receber nutrientes e pode atrofiar, causando danos maiores e mais difíceis de reverter na capacidade de enxergar. Por isso, é importante que, ao sentir qualquer tipo de alteração na visão, o paciente procure um médico oftalmologista.

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO – O diagnóstico da serosa central é feito por meio do exame de fundo do olho, com o mapeamento da retina com dilatação pupilar. Outros exames importantes para diagnosticá-la fazer o acompanhamento do paciente são a angiofluoresceinografia e a Tomografia de Coerência Óptica (OCT).

A serosa central pode ser tratada por meio de medicamentos, laser micropulsado ou pela Terapia Fotodinâmica (PDT), sendo esta última alternativa a mais indicada porque consegue chegar até a região central do olho. O PDT age como modulador da permeabilidade da coróide, diminuindo o vazamento de líquido e promovendo a reabsorção destes líquidos.

“O tratamento PDT é feito de acordo com a necessidade, normalmente uma ou duas aplicações são suficientes, a não ser que a pessoa tenha esse vazamento em várias regiões do olho. Além da serosa central, a terapia fotodinâmica também pode ser usada para tratar tumores e a vasculopatia polipoildal, um tipo de doença macular relacionada à idade”, explica Sebastião José Ferreira Neto.

A Oftalmed possui toda a estrutura para receber e diagnosticar pacientes que tenham a serosa central e todos os médicos especializados em retina estão preparados para realizar a Terapia Fotodinâmica (PDT).

 

OFTALMED – Com 23 anos de tradição no Distrito Federal, a Clínica Oftalmed possui unidades na Asa Sul, Taguatinga e Águas Claras e realiza mais de 14 mil atendimentos mensais, entre consultas e exames clínicos. Além do atendimento clínico geral, a Oftalmed oferece atendimento especializado em catarata, refrativa, retina, glaucoma e cirurgia plástica.

 

Assessoria de Imprensa

Larissa Sampaio
(61) 9 8181.9102
larissa@coletivoconversa.com.br

Bruno Aguiar
(61) 9 8194.9402
bruno@coletivoconversa.com.br

Relacionadas