FGV/ EBAPE e Harvard inauguram primeiro think tank  brasileiro de políticas educacionais

FGV/ EBAPE e Harvard inauguram primeiro think tank brasileiro de políticas educacionais

Publicado em 2 de dezembro de 2016

A Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV/EBAPE) inaugurou, nesta segunda-feira, dia 28, o Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais (CEIPE). O centro está associado ao Programa de Política Educacional Internacional da Universidade de Harvard e é o primeiro think tank brasileiro (organização que produz conhecimento para determinado campo de atuação) para realização de pesquisas aplicadas e implementação de políticas educacionais inovadoras.

O vice-diretor da FGV/EBAPE, Alvaro Cyrino, abriu o evento e destacou que o Centro é um projeto de construção coletiva que vai passar pela reflexão e pela implementação de políticas públicas capazes de transformar a educação no Brasil. “A criação do CEIPE é parte de um processo que a FGV está engajada: o de utilizar o conhecimento de fronteira em algo que possa ser aplicado para transformar realidades. O Centro vai contribuir para transcender o diagnóstico negativo da educação brasileira e partir para a promoção de uma agenda com soluções que nos permitam dar esse estalo positivo na educação”, explica o vice-diretor.

A direção do CEIPE será de Cláudia Costin, ex-secretária municipal de Educação do Rio de Janeiro e ex-diretora global de Educação do Banco Mundial. Durante a inauguração, que aconteceu no Palácio da Cidade, Costin, que também professora convidada da Universidade de Harvard, enfatizou que a criação do CEIPE é a concretização de um sonho coletivo. “Tem muita gente que quer transformar a educação para todas e cada criança em uma educação inclusiva e de qualidade. O Centro vai poder contribuir para essa transformação por estar dentro de uma instituição como a FGV. É um grande desafio, mas precisamos olhar para o país que queremos construir e entender que o maior motor do desenvolvimento inclusivo é a educação”, destaca.

Cláudia Costin participou de mesa redonda ao lado do professor e diretor da Iniciativa Global pela Inovação na Educação da Universidade de Harvard, Fernando Reimers, que também esteve ao evento para lançar seu mais recente livro Ensinar e aprender no século XXI: metas, políticas educacionais e currículos de seis nações. Para Reimers, a inauguração do CEIPE é uma iniciativa promissora. “Qualquer centro que tenha o desafio de combinar o desenvolvimento de competências com pesquisa aplicada e de criar políticas inovadoras na área de educação é uma iniciativa promissora porque não temos muitos exemplos disso no mundo. Estou muito empolgado com o CEIPE e ansioso em começar o trabalho com a Cláudia e sua equipe”, enfatiza o professor Reimers.

A mesa redonda foi mediada pelo especialista em Inovação na Educação, Rafael Parente. Para ele, o Centro tem a mais importante missão: fazer com que a educação garanta que cada criança e cada jovem brasileiro possam ser protagonistas dos seus projetos de vida. “Queremos, ao lado de presidentes, governadores e prefeitos, cumprir o que o Brasil mais precisa para se tornar um país realmente sério, justo, fraterno e democrático. Precisamos de líderes que consigam construir as pontes necessárias para um novo futuro; de pessoas que tenham sensibilidade, coragem e resiliência para falar sobre e fazer o que precisa ser feito”, afirma.

A nova unidade da FGV/EBAPE também terá apoio do Instituto Brookings. O evento lançou ainda outras duas publicações voltadas para o setor: Por uma Nova Formação Continuada e Millions Learning – Ampliando a escala da educação de qualidade em países em desenvolvimento.

Estiveram presentes à inauguração o secretário estadual de Educação do Rio de Janeiro, Wagner Victer; a secretária municipal de Educação do RJ, Helena Bomeny; o ex-ministro e atual professor da FGV/EBAPE, Henrique Paim; o secretário estadual de Educação do Maranhão, Felipe Camarão; o prefeito de Itapuí-SP, José Eduardo Amantini; a presidente do Movimento Todos pela Educação, Priscila Cruz; a ex-secretária de educação básica do MEC, Pilar Lacerda; a ex-presidente da UNDIME Nacional, Cleuza Repulho; e demais autoridades e gestores de Educação de diversos estados.

Uma iniciativa, vários desafios

O CEIPE vai auxiliar na idealização, planejamento, implementação, acompanhamento e avaliação de políticas educacionais inovadoras em áreas prioritárias, como a formação de gestores da educação e professores. O foco será na qualificação da primeira infância e equidade, e na personalização dos processos de aprendizagem.

“O Centro é uma iniciativa importante diante da realidade brasileira, em que a melhoria do nosso sistema educacional vem acontecendo de forma muito lenta e desigual. Ele surge, entre outras coisas, para promover a aceleração e a transformação positiva de sistemas educacionais no Brasil”, explica Cláudia.

Segundo dados do Observatório do Plano Nacional de Educação (PNE), menos de 10% dos jovens que concluem o ciclo de educação básica e obrigatória no Brasil adquirem os conhecimentos e desenvolvem as competências e habilidades mínimas necessárias para a vida de cidadãos brasileiros. Estados e cidades obtêm resultados muito diferentes, e o status socioeconômico, a etnia e a escolarização da família do jovem exercem grande influência em seu aprendizado.

Cláudia reforça os dados da PNE ao considerar que os maiores problemas da educação brasileira são a falta de qualidade e de equidade. “Em todas as avaliações oficiais, nacionais e internacionais, nossos resultados são preocupantes. O Brasil figura, em todas as edições do PISA – a avaliação internacional mais respeitada no mundo –, em posições incompatíveis com o seu estágio de desenvolvimento”, aponta.

Assessoria de Imprensa

Kadydja Albuquerque

(61) 9 8277-8382 / 3034 0442
kadydja@coletivoconversa.com.br

Relacionadas