As 5 macro tendências da comunicação empresarial para 2018

As 5 macro tendências da comunicação empresarial para 2018

Kadydja Albuquerque

Kadydja Albuquerque Publicado em 2 de Janeiro de 2018

O ano novo chegou e, com ele, novas metas empresariais. A Comunicação da sua empresa já está organizada e alinhada à sua estratégia para 2018? É hora de tomar decisões e garantir que os resultados deste ano sejam melhores que os do ano passado e não há uma receita padronizada para isso.

Cada empresa, inserida em seu ramo de atividade e em um contexto específico, demanda ações personalizadas, mas podemos adiantar algumas tendências para 2018.

 

Multiplicidade de canais e formatos

Dizer que o digital é o principal formato de comunicação com os públicos de uma empresa é uma afirmação óbvia. A questão é que as organizações precisam diversificar ainda mais os canais digitais de comunicação com o seu público e entregar formatos personalizados para cada canal.

 

video_comunicacao_empresa_redes_sociais

Vídeo: formato com mais alcance nas redes sociais.


Vídeo continua como o formato mais visualizado pelos usuários de redes sociais e também com maior alcance. Até 2019, vídeos serão 80% do tráfego na internet, segundo pesquisa da Cisco. Invista em ações que valorizem esse formato: vídeos produzidos, stories (histórias), lives.

No entanto, outros recursos digitais precisam estar no radar das empresas: SEO (estratégias para melhorar ranqueamento), ações para mobile, atendimento digital, comunicação geolocalizada.

 

Comunicação que gera impacto na comunidade

A comunicação é uma atividade-meio em uma empresa, mas ela pode auxiliar na promoção de ações que gerem impacto na comunidade onde aquela organização está inserida. As grandes empresas já entendem isso, mas é preciso que as pequenas e médias criem (ou até patrocinem) uma agenda que promova impacto social, ambiental, etc. A comunicação deve servir para além da promoção dos serviços e dos resultados da empresa.

 

Exemplo de ação que pode gerar impacto e agregar valor à marca da empresa. Não esqueça: transforme essas ações em uma agenda constante.


Mais uma vez, para não esquecer: gere impacto, contribua para uma sociedade melhor, mas é importante que essas ações façam parte de um programa, sejam constantes, e estimulem a construção de uma rede de colaboradores. A partir daí, comunique essas ações e agregue valor à sua marca.

 

Conteúdo além do institucional

Produzir conteúdo sobre serviços, ações, programas, resultados da empresa é importante, mas cresce a necessidade das organizações “entregarem” informações que transcendam o institucional.

 

conteudo_utilidade_sbra_digital

Site da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida, cliente do Conversa Coletivo, mantém um blog com informações de utilidade pública para seu público.

 

Para 2018, as empresas precisam investir em produção de conteúdo que compartilhe conhecimento e que sejam de utilidade para seus públicos. Isso pode ser feito por meio de porta-vozes com artigos de opinião, artigos para blog, newsletters, posts em redes sociais (e por aí vai), ou por meio da produção de pesquisas/estudos que compilem informações úteis para seus públicos e que sejam distribuídas nos canais da empresa.

 

Comunicação Interna: invista no gestor

Já falei sobre isso em outro artigo e citei uma pesquisa da SocialBase que traz o gestor de comunicação interna como o principal canal para as ações de comunicação interna. Apesar do estudo revelar tendências de 2017, a comunicação face a face com o gestor em cargo de liderança continua sendo uma boa aposta para este ano, aliada a estratégias de tornar a comunicação interna mais digital, imediata e com maior eficácia de retorno para a empresa e seus funcionários.

Veja os dados de 2017: nas pequenas empresas, o aumento da comunicação face a face é a principal tendência, visto que gestor imediato (45%), colegas multiplicadores (42%) e alta liderança (36%) estão entre as iniciativas mais intensificadas em 2017; as médias empresas seguem a tendência, e na sequência das intensificações dos canais vêm intranet (45%), e-mail e rede social corporativa (33%).

Nas grandes, o face a face também ganhará relevância em 2017 e essa abordagem será intensificada na comunicação por gestor imediato (62%), alta liderança (59%) e colegas multiplicadores (58%). Neste público, a intranet também será bastante fortalecida (62%). Ainda merecem destaque a rede social corporativa (39%) e a newsletter/revista digital (37%).

 

Assessoria de Imprensa < Relações Públicas

Este ano ainda não veremos o fim da assessoria de imprensa (e nem acredito que isso vá acontecer um dia), mas estamos caminhando para um modelo mais aberto e que abarca não apenas a mídia tradicional, mas outros atores importantes na disseminação de notícias/informações. São os usuários-mídia ou, como muitos chamam, os influenciadores digitais.

No entanto, é bom ressaltar que influenciador digital não é sinônimo de celebridade. É claro que muitas celebridades são influenciadoras, e muitos influenciadores viraram celebridades, mas o crucial para uma organização é encontrar quem são as pessoas que influenciam o seu público, e elas podem estar bem longe dos holofotes do show business.

Neste contexto, é importante para as empresas reavaliar suas estratégias tradicionais de assessoria de imprensa e partir para um escopo de trabalho que atenda mais à gestão de relações públicas.

Uma dica para inovar em sua comunicação empresarial é criar um plano de ações que encontre um equilíbrio entre os verbos “divulgar, vender, promover” e “entregar, estimular, impactar, dividir”.

Ao longo das próximas semanas, trarei mais informações sobre cada tendência em detalhe, dando dicas de evoluir e por em prática cada uma dessas tendências. Até lá!

Quer começar o ano quando um novo direcionamento de comunicação para a sua empresa? Entre em contato conosco! As melhores ideias surgem de uma boa conversa.

Kadydja Albuquerque é especialista em Gestão da Comunicação nas Organizações e sócia do Conversa Coletivo de Comunicação Criativa.

Relacionadas